Isaías Capítulo 49

  1     2   3    4     5    6    7     8    9  10   11   12  13   14  15 

16  17   18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30

31  32  33  34  35  36  37  38  39  40  41  42  43  44  45 

46 47  48  49  50  51  52  53  54  55  56  57  58  59  60

61  62  63  64  65  66

Isaías Capítulo 49 - (Is)

  1. Ouvi-me, ilhas; e escutai, povos de longe. Jeová chamou-me desde o ventre, desde as entranhas de minha mãe fez menção do meu nome;
  2. fez a minha boca como uma espada aguda, na sombra da sua mão me escondeu; fez-me como uma seta polida, na sua aljava me encobriu
  3. e me disse: Tu és o meu servo; és Israel, no qual hei de ser glorificado.
  4. Mas eu disse: Debalde tenho trabalhado, inútil e vãmente tenho gasto as minhas forças; contudo certamente o meu direito está com Jeová, e a minha recompensa com o meu Deus.
  5. Agora diz Jeová que me formou desde o ventre para ser o seu servo, para de novo trazer Jacó a ele, e para se reunir Israel a ele (pois sou glorificado aos olhos de Jeová, e o meu Deus se faz a minha fortaleza),
  6. sim, diz ele: Pouco é que sejas o meu servo para suscitares as tribos de Jacó e restaurares os que de Israel têm sido preservados; também te porei para a luz dos gentios, a fim de seres a minha salvação até os confins da terra.
  7. Assim diz Jeová, o redentor de Israel, e o Santo dele, ao que é desprezado dos homens, ao que é aborrecido da nação, ao servo dos que dominam: Reis bem como príncipes verão, se levantarão, adorarão, por causa de Jeová que é fiel, por causa do Santo de Israel que te escolheu.
  8. Assim diz Jeová: No tempo aceitável te respondi, e no dia da salvação te auxiliei; conservar-te-ei e te darei por uma aliança do povo, para restaurares a terra, para distribuires as herdades assoladas,
  9. e para dizeres aos que estão em cadeias: Sai; aos que estão em trevas: Mostrai-vos. Eles pastarão nos caminhos, e em todos os altos desnudados haverá o seu pasto.
  10. Não terão fome nem sede; não os molestará nem a miragem nem o sol; porque o que deles se compadece, os guiará, sim os conduzirá aos mananciais de água.
  11. Transformarei em caminho todos os meus montes, e as minhas estradas serão exaltadas.
  12. Eis que estes virão de longe, eis que aqueles do norte e do ocidente e aqueles outros da terra de Sinim.
  13. Cantai, céus; regozija-te, terra; rompei em cânticos, montes; porque Jeová conforta ao seu povo, e se compadecerá dos seus aflitos.
  14. Sião, porém, disse: Jeová desamparou-me, e o Senhor esqueceu-se de mim.
  15. Acaso pode uma mulher esquecer-se de seu filho de peito, de sorte que ela não se compadeça do filho das suas entranhas? embora as mães se esqueçam, contudo eu não me esquecerei de ti.
  16. Eis que te gravei nas palmas das minhas mãos; os teus muros estão continuamente diante de mim.
  17. Os teus filhos se apressam; sairão para fora de ti os que te destruíam e te assolavam.
  18. Levanta os teus olhos ao redor, e olha; todos estes se reúnem, e vêm ter comigo. Por minha vida juro, diz Jeová, que de todos estes te vestirás como de um ornamento, e te cingirás deles, à moda de uma noiva.
  19. Pois quanto aos teus lugares desertos e desolados, e à tua terra arruinada, agora tu, ó Sião, serás certamente estreita demais para os moradores; e os que te devoravam estarão longe.
  20. Ainda dirão em teus ouvidos os filhos de que fostes privados: Este lugar é demasiadamente estreito para mim; dá-me espaço, em que eu habite.
  21. Então dirás no teu coração: Quem me gerou estes, visto que fui privada de meus filhos, e sou solitária, exilada e errante? estes, quem os criou? Eis que fui deixada sozinha; estes onde estavam?
  22. Assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu levantarei as minhas mãos para as nações, e arvorarei o meu estandarte para os povos; eles trarão teus filhos nos braços e tuas filhas sobre os ombros.
  23. Terás reis por teus aios, e as suas rainhas por tuas amas; diante de ti se inclinarão com o rosto em terra, e lamberão o pó dos teus pés; saberás que eu sou Jeová, e que os que por mim esperam não serão envergonhados.
  24. Acaso tirar-se-á a presa ao forte, ou serão libertados os que são legalmente cativos?
  25. Mas assim diz Jeová: Certamente os cativos serão tirados ao forte, e a presa do tirano será libertada; porque eu contenderei com o que contende contigo, e salvarei teus filhos.
  26. Os que te oprimem alimentarei com as suas próprias carnes; e com o seu próprio sangue eles se embriagarão como com o mosto. Toda a carne saberá que eu, Jeová, sou o teu salvador, e que o teu redentor é o Poderoso de Jacó.

<<Anterior  <<                                                                                                                   >>  Próximo >>

Publicidade



Biblia Online Isaías Capítulo 49
Isaías Capítulo 49

Características de:

Isaías Capítulo 49

  • Isaías: significa: "a salvação". A salvação das nações vem por meio de Jeová (Deus), através de seu julgamento, poder  e graça.
  • Escrito por: Profeta Isaías no período aproximado entre 745 - 684 a.C.
  • Personagens: Isaías, Rei Ezequias, Rei Acaz, Rei Ciro da Pérsia, Judá, Uzias e Jotão.
  • Local do Acontecimentos: Foi na terra de Judá, devido a data isto pode ter ocorrido antes ou próximo dos tempos do inicio do exílio babilônico.
  • Pontos Principais: Em todo o livro de Isaías ele deseja através de sua obediência a Deus, mostrar com clareza o pecado do povo de Judá e o quanto eles permanecem com seus corações duros e não querem reconhecer isso a fim de buscar uma vida melhor seguindo e ouvindo as promessas de Deus para as suas vidas.
  • Curiosidade: O livor de Isaías tem 66 capítulos assim como a bíblia tem no total 66 livros em sua composição. O livro de Isaías também pode ser divido em duas partes assim como a bíblia, sendo a primeira parte onde Deus fez a destruição de um povo pecador (arca de Noé) e em Isaías (exílio babilônico pelo pecado do povo), e na segunda parte a nossa salvação eterna através de Cristo Jesus com sua morte na cruz para nos livrar do pecado e em Isaías com a restauração do povo após exílio babilônico.

Em breve mais informações de Isaías capítulo 49:

Publicidade