Provérbios Capítulo 18

  1     2   3    4     5    6    7     8    9  10   11   12  13   14  15 

16  17   18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30

31

Provérbios Capítulo 18 - (Pv)

  1. Quem vive isolado busca o que deseja E incomoda-se com toda a verdadeira sabedoria.
  2. O tolo não tem prazer no entendimento, Mas tão somente em se revelar tal como é.
  3. Quando vier o perverso, vem também o desprezo, E com a ignomínia vem o opróbrio.
  4. As palavras da boca do homem são como águas profundas, E a fonte da sabedoria é como ribeiro que corre.
  5. Não é bom guardar respeito à pessoa do perverso, Nem oprimir o justo no juízo.
  6. Os lábios do tolo metem-se em contendas, E a sua boca provoca açoites.
  7. A boca do tolo é a sua destruição, E os seus lábios são o laço da sua alma.
  8. As palavras do caluniador são como doces bocados, Que penetram até o fundo das entranhas.
  9. Aquele que é remisso na sua obra, É irmão do que é destruidor.
  10. O nome de Jeová é uma torre forte, À qual o justo se acolhe e está seguro.
  11. Os bens do rico são a sua cidade forte, E como um muro alto na sua imaginação.
  12. Antes da ruína eleva-se o coração do homem, E adiante da honra vai a humildade.
  13. Quem responde antes de ouvir, Estultícia lhe é e vergonha.
  14. O espírito do homem o sustentará na enfermidade, Mas quem poderá levantar a um espírito quebrantado?
  15. O coração do inteligente adquire conhecimento, E o ouvido dos sábios busca ao conhecimento.
  16. Os presentes do homem alegram-lhe o caminho, E levam-no perante os grandes.
  17. O primeiro que pleitea a sua causa parece justo; Mas vem a outra parte, e o sonda.
  18. A sorte faz cessar os pleitos, E decide entre os poderosos.
  19. O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte, E tais contendas são como os ferrolhos dum castelo.
  20. O ventre dum homem se fartará do fruto da sua boca, E com os renovos dos seus lábios estará satisfeito.
  21. A morte e a vida estão no poder da língua, Cujos amadores comerão dos frutos dela.
  22. Quem acha uma esposa, acha o bem, E alcança o favor de Jeová.
  23. O pobre fala com súplicas, Mas o rico responde com asperezas.
  24. Quem faz para si muitos amigos, fá-los para sua desgraça; Mas há um amigo que é mais chegado do que um irmão.

<<Anterior  <<                                                                                                                   >>  Próximo >>

Publicidade



Biblia Online Provérbios Capítulo 18
Provérbios Capítulo 18

Características de:

Provérbios Capítulo 18

  • Provérbios: são pequenas frases com bastante harmonia nas palavras que transmitem a verdade em forma de experiências e observações.
  • Escrito por: o livro de Provérbios tem três prováveis autores: Salomão, Agur e Lemel, que foi escrito no período aproximado entre 970 - 929 a.C neste primeiro momento por Salomão e o segundo período entre 720 - 685 a.C, por Agur e Lemel, sendo eles responsáveis pelos capítulos finais do livro;
  • Personagens: a sociedade no geral (maridos e esposa, filhos e pais, ...etc);
  • Local do Acontecimentos: Provérbios é um livro cheio de ensinamentos que foram escritos durante a vida de Salomão e revisado e acrescentado capítulos durante o reinado de Ezequias;
  • Pontos Principais: Provérbios foi escrito para dar a humanidade sabedoria e entendimento a todas as pessoas, tanto nas questões de inteligência, prudência, vida justa e temor a Deus.
  • Curiosidade: Salomão assim como seu pai Davi teve uma vida com erros e falhas, mas mesmo assim Deus lhe deu Sabedoria e Entendimento através de sua fé na oração que fez a Deus quando Deus apareceu para ele e lhe concedeu um pedido especial e Salomão sabiamente fez o pedido e assim Deus o tornou o homem mais sábio,  cheio de conhecimento e rico que já teve neste mundo e Deus garante que não terá outro como ele.

Em breve mais informações de Provérbios capítulo 18:

Publicidade