Provérbios Capítulo 7

  1     2   3    4     5    6    7     8    9  10   11   12  13   14  15 

16  17   18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30

31

Provérbios Capítulo 7 - (Pv)

  1. Filho meu, observa as minhas palavras, E entesoura em ti os meus mandamentos.
  2. Observa os meus mandamentos e vive, Guarda a minha lei como a menina dos teus olhos,
  3. Ata-os aos teus dedos, E escreve-os na tábua do teu coração.
  4. Dize à sabedoria: Tu és minha irmã, E chama ao entendimento a tua parenta,
  5. Para te guardarem da mulher estranha, Da estrangeira que lisonjeia com as suas palavras.
  6. Pois estando eu à janela da minha casa, Espiei pelas minhas grades;
  7. Vi entre os simples, Discerni entre os moços Um mancebo falto de entendimento,
  8. Que passava pelas ruas junto à esquina da estrangeira, Seguindo o caminho da casa dela,
  9. No crepúsculo, à tarde do dia, À noite fechada, e na escuridão.
  10. Eis que lhe saía ao encontro uma mulher, Ornada à moda das prostitutas, e astuta de coração.
  11. Ela é turbulenta e obstinada; Os seus pés não param em casa:
  12. Ora está nas ruas, ora nas praças, E põe-se de emboscada a cada esquina.
  13. Assim pegou dele, e o beijou, E com uma cara sem vergonha lhe disse:
  14. Sacrifícios de ofertas pacíficas estão comigo; Hoje paguei os meus votos.
  15. Por isso saí para me encontrar contigo, Para te procurar, e te achei.
  16. Cobri a minha cama com cobertas, Com colchas de linho do Egito, de várias cores.
  17. Perfumei o meu leito Com mirra, aloés e cinamomo.
  18. Vem, embriaguemo-nos de amor, até que amanheça o dia: Alegremo-nos com amores.
  19. Pois meu marido não está em casa, Foi fazer uma viagem dilatada;
  20. Levou consigo um saquitel de dinheiro; Lá para o dia da lua cheia voltará para casa.
  21. Ela fê-lo ceder com o seu muito falar, Com a lisonja dos seus lábios o arrasta.
  22. Ele a segue logo, Como o boi que vai ao matadouro, Ou como louco agrilhoado para a correção,
  23. Até que uma seta lhe traspasse o fígado, Como o pássaro se apressa para o laço, Sem saber que está armado contra a sua vida.
  24. Agora, pois, filhos, escutai-me; E atendei às palavras da minha boca.
  25. Não se desvie para os seus caminhos o teu coração, Não andes perdido pelas suas veredas.
  26. Pois ela a muitos tem feito cair feridos; E muitíssimos são os que têm sido mortos por ela.
  27. A sua casa é o caminho do Cheol, Que desce às câmaras da morte.

<<Anterior  <<                                                                                                                   >>  Próximo >>

Publicidade



Biblia Online Provérbios Capítulo 7
Provérbios Capítulo 7

Características de:

Provérbios Capítulo 7

  • Provérbios: são pequenas frases com bastante harmonia nas palavras que transmitem a verdade em forma de experiências e observações.
  • Escrito por: o livro de Provérbios tem três prováveis autores: Salomão, Agur e Lemel, que foi escrito no período aproximado entre 970 - 929 a.C neste primeiro momento por Salomão e o segundo período entre 720 - 685 a.C, por Agur e Lemel, sendo eles responsáveis pelos capítulos finais do livro;
  • Personagens: a sociedade no geral (maridos e esposa, filhos e pais, ...etc);
  • Local do Acontecimentos: Provérbios é um livro cheio de ensinamentos que foram escritos durante a vida de Salomão e revisado e acrescentado capítulos durante o reinado de Ezequias;
  • Pontos Principais: Provérbios foi escrito para dar a humanidade sabedoria e entendimento a todas as pessoas, tanto nas questões de inteligência, prudência, vida justa e temor a Deus.
  • Curiosidade: Salomão assim como seu pai Davi teve uma vida com erros e falhas, mas mesmo assim Deus lhe deu Sabedoria e Entendimento através de sua fé na oração que fez a Deus quando Deus apareceu para ele e lhe concedeu um pedido especial e Salomão sabiamente fez o pedido e assim Deus o tornou o homem mais sábio,  cheio de conhecimento e rico que já teve neste mundo e Deus garante que não terá outro como ele.

Em breve mais informações de Provérbios capítulo 7:

Publicidade